Histórico

O projeto de criação do Laboratório de Tecnologia contra Lavagem de Dinheiro (LAB-LD)  é a realização da meta 16 da ENCCLA 2006 (Estratégia Nacional de Combate á Corrupção e Lavagem de Dinheiro), que previa a necessidade de “Implantar Laboratório modelo para a aplicação de soluções de análise tecnológica em grandes volumes de informações e para a difusão de estudos sobre as melhores práticas em hardware, software e a adequação de perfis profissionais”. 

A motivação de criação do LAB-LD originou-se da constatação, pelos órgãos participantes da ENCCLA, de que as investigações de casos de lavagem de dinheiro ou corrupção envolviam quebras de sigilo bancário de inúmeras contas, além de sigilos telefônico e fiscal, abrangendo grandes períodos, o que gerava uma grande massa de dados a ser analisada, cujo trabalho era difícil de ser realizado pelos meios convencionais Além disso, as investigações e análises financeiras eram conduzidas sem a necessária especialização, de forma arcaica e pouco eficiente.

Inicialmente, por intermédio de convênio firmado entre o Ministério da Justiça e o Banco do Brasil, o primeiro LAB-LD foi implantado no Departamento de Recuperação de Ativos e Cooperação Jurídica Internacional (DRCI) da Secretaria Nacional de Justiça (SNJ) no ano de 2006.

Com o sucesso do projeto, novos laboratórios foram implantados em outros órgãos conveniados, tais como Polícia Federal, Polícias Civis Estaduais, Ministérios Públicos Estaduais, Receita Federal, expandindo-se para outros Estados e formando uma rede de laboratórios (REDE-LAB) destinada ao compartilhamento de conhecimento e boas práticas de trabalho.

Nos últimos anos, os LAB-LD's espalhados pelo Brasil atuaram em inúmeros casos reais envolvendo lavagem de dinheiro, muitos de repercussão nacional, atendendo a demandas de apoio dos mais diversos órgãos. Para tanto, analistas de T.I. e de informações testaram e utilizaram, de maneira exaustiva e em casos práticos, vários softwares especializados, o que resultou no desenvolvimento de métodos inovadores para esse tipo de investigação.
Recomendar esta página via e-mail: